Quarta, 03 de Março de 2021 21:07
75 98891-2472
Dólar comercial R$ 5,66 -0.03%
Euro R$ 6,83 -0.28%
Peso Argentino R$ 0,06 -0.11%
Bitcoin R$ 304.816,87 +6.368%
Bovespa 111.183,95 pontos -0.32%
Economia LUCRO

Bancos digitais e Pandemia pode levar Bancos a terem maior queda no lucro em 20 anos.

Perspectiva para este ano é de recuperação, com retomada da atividade e possível alta da Selic.

22/01/2021 11h17 Atualizada há 1 mês
Por: Redação Fonte: D4
BANCOS BUSCARÃO REDUZIR DESPESAS DEMISSÕES A VISTA - FOTO DIVULGAÇÃO
BANCOS BUSCARÃO REDUZIR DESPESAS DEMISSÕES A VISTA - FOTO DIVULGAÇÃO

Vai começar a temporada de balanço dos bancos agora em fevereiro e os números devem mostrar a maior queda anual no lucro médio desde ano 2000, quando um prejuízo bilionário no antigo Banespa - que depois foi comprado pelo Santander - derrubou o resultado combinado das principais instituições financeiras. Desta vez, os números foram puxados para baixo pelas provisões para lidar com possíveis perdas com empréstimos causadas pela pandemia de coronavírus. Para 2021, a perspectiva dos analistas é de recuperação firme nos resultados, em função da base de comparação baixa e da retomada da economia, além da esperada alta da Selic.

Segundo levantamento da revista Valor com cinco casas, os quatro maiores bancos brasileiros de capital aberto (Banco do Brasil Itaú, Bradesco e Santander) devem registrar um lucro em conjunto de R$ 17,699 bilhões no quarto trimestre e de R$ 63,584 bilhões em 2020. Caso essa última projeção se concretize, significará uma queda de 26,6% em relação a 2019.

 Essa será a maior queda desde 2000 e a quinta maior desde a criação do Plano Real, em 1994, conforme levantamento da consultoria Economatica feito a pedido da revista Valor. Nesse período, o resultado consolidado dos bancos só apresentou prejuízo em 1995 e 1996, quando o governo Fernando Henrique Cardoso fez uma limpeza no balanço do BB.

O estudo considera os quatro maiores bancos de capital aberto, sendo que os números do Banespa foram consolidados com os do Santander para o período anterior à compra, concluída em 2005; e a mesma coisa vale para os números do Unibanco antes da fusão com o Itaú, anunciada 2008. Na avaliação da consultoria, a melhora nos resultados do quarto trimeste deve ajudar a amenizar um pouco o recuo nos lucros ao longo do ano. Até o terceiro trimestre, o lucro dos maiores bancos registrava uma queda anual de 30,5%.

O levantamento da Economatica também mostra que a mediana da rentabilidade (ROE) desses quatro bancos deve ficar em torno de 13,58% em 2020, o que seria a menor desde 1995, e vindo de 19,15% em 2019.

Para os analistas do J.P. Morgan, os números do quarto trimestre devem mostrar uma melhora na margem, com redução do custo de risco, já que as provisões extraordinárias constituídas pelos bancos nos períodos anteriores devem ser suficientes para lidar com a pandemia, e melhora na margem financeira. Ainda assim, a inadimplência pode começar a subir, após ter atingido mínimas históricas em função dos períodos de carência que os bancos ofereceram aos clientes. “Os retornos devem continuar abaixo dos níveis pré-pandemia, mas ROEs abaixo de 10% devem ser a exceção, não a regra”, dizem em relatório.

 O UBS também vê uma melhora nos números do quarto trimestre, mas diz que a margem financeira deve continuar pressionada, enquanto a receita de tarifas pode surpreender positivamente, beneficiada pela sazonalidade e pela recuperação da atividade econômica. Os analistas lembram que junto com os números de 2020 os bancos podem divulgar seus guidances para 2021, já que agora o cenário está um pouco mais claro do que quando a pandemia começou. Eles dizem que a tendência geral deve ser de cortes de gastos e queda no custo de risco, com margem financeira ainda pressionada e receita de tarifas crescendo um dígito alto.

 

 O Bank of America acredita que os quatro grandes bancos brasileiros devem ter uma alta de 25% no lucro combinado de 2021, graças a uma queda de 20% nas provisões. “Os resultados dos bancos no terceiro trimestre foram impulsionados pela queda das provisões na margem, o que deve continuar nos próximos trimestres, segundo as administrações das instituições. Além da recuperação mais rápida do que o esperado nas condições econômicas, o otimismo decorre do fato de que os bancos construíram significativas reservas nos últimos nove meses”, dizem os analistas em relatório.

 

No acumulado de 2020 até o terceiro trimestre, as provisões foram maiores no Itaú (R$ 24,175 bilhões), seguidas por Bradesco (R$ 21,186 bilhões), Banco do Brasil (R$ 16,953 bilhões) e Santander (R$ 12,873 bilhões). Como percentual da carteira total, quem mais provisionou foram Bradesco (5,9%), Itaú (4,9%), Santander (4,4%) e BB (3,4%).

Entre os grandes bancos, o que deve registrar a maior queda no lucro, tanto no quarto trimestre como em 2020, é o Itaú, que é justamente o primeiro a divulgar seus resultados, em 1º de fevereiro, após o fechamento do mercado. “A margem financeira do Itaú desapontou significativamente, com mudança no mix de empréstimos, os programas do governo e as renegociações de crédito”, afirma o UBS.

O segundo pior resultado no trimestre deve ser o do BB. “O banco ainda estava renegociando empréstimos no quarto trimestre e antecipamos que o custo de risco deve subir. Suas provisões também devem acelerar”, afirma o J.P. Morgan. Na semana passada, o presidente do BB, André Brandão, quase foi demitido pelo governo depois que a instituição financeira anunciou um projeto de redução de agências e demissões voluntárias que poderia gerar uma economia de R$ 353 milhões este ano.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
-
Atualizado às 21h00 - Fonte: Climatempo
°

Mín. 22° Máx. 36°

° Sensação
km/h Vento
% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (04/03)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 34°

Sol com algumas nuvens
Sexta (05/03)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 35°

Sol com algumas nuvens
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias